Principais notícias do dia 15 de Julho de 2015 - Jornais

ECONOMIA / MERCADO DE TRABALHO

Reforma de PIS/Cofins pode onerar setor de serviços – O Globo
A proposta de reforma do PIS/Cofins que está sendo finalizada pela equipe econômica para ser enviada ao Congresso já é alvo de críticas. Parlamentares, tributaristas e representantes do setor produtivo temem que o plano, que prevê a unificação das alíquotas dos dois tributos e sua cobrança apenas por um dos regimes hoje em vigor, acabe aumentando a carga tributária de segmentos da economia cruciais para o PIB, caso dos serviços.  

Plano para emprego vale para todos, diz ministro – Folha de S. Paulo
O ministro Manoel Dias (Trabalho) afirmou nesta terça-feira que (14) que todos os setores prejudicados pelo desaquecimento da economia poderão aderir ao PPE (Programa de Proteção ao Emprego), anunciado no início deste mês. "Não há limitação. Qualquer setor pode participar desde que preencha os requisitos", disse Manoel Dias. O PPE prevê a redução em até 30% da jornada de trabalho, com redução proporcional de salários, por no máximo um ano. O governo irá complementar metade da redução da renda do trabalhador com recursos do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador). Até o próximo dia 21, um comitê de técnicos do governo irá estabelecer as regras para adesão ao programa. 

Sem vendas e sem vagas – O Globo
O varejo brasileiro está vendendo cada vez menos e demitindo cada vez mais. O IBGE informou ontem que o volume de vendas no setor recuou 0,9% em maio, na comparação com abril, e 4,5%, frente ao mesmo mês do ano passado, justo no mês no Dia das Mães, data que só perde para o Natal em faturamento do setor. Com desempenho tão ruim, comerciantes estão cortando vagas como nunca: nos primeiros cinco meses do ano, fecharam 159.315 empregos com carteira assinada, de acordo com o balanço mais recente do Caged do Ministério do Trabalho. É triplo do saldo negativo do mesmo período do ano passado.

Dia das Mães fraco derruba vendas do varejo em maio – Folha de S. Paulo
O movimento fraco no comércio para o Dia das Mães derrubou o resultado do varejo em 4,5% no mês de maio comparado com o mesmo mês do ano passado. Foi o pior resultado desde agosto de 2003 (-5,7%). Na passagem de abril para maio, a queda foi de 0,9% na série livre de efeitos típicos de cada período (como o número de dias úteis) –o quarto mês consecutivo de retração. Com isso, o comércio acumula baixa de 0,5% em um período de 12 meses. Os dados foram divulgados pelo IBGE nesta terça (14). A expectativa de economistas consultados pela agência internacional Bloomberg era de queda de 0,3% em maio ante abril e de 3,07% na comparação entre maio de 2015 e o mesmo mês do ano anterior.

Vendas no varejo caem 0,9% em maio, a maior queda em 14 anos – O Estado de S.Paulo
Com a atividade econômica dando sinais de fraqueza, as vendas do comércio varejista tiveram o quarto mês seguido de queda. O indicador caiu 0,9% em maio ante abril, na série com ajuste sazonal, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É o recuo mais intenso para o mês desde 2001, ano no qual a queda também foi de 0,9%. 

Arrecadação ruim em junho pode aprofundar tendência negativa no ano – Valor Econômico
O mês de junho mostrou uma aceleração da queda da receita federal, de acordo com dados obtidos no Siafi, o sistema eletrônico que registra todas as receitas e despesas da União. A arrecadação total apresentou uma redução de 6,9% em termos reais, na comparação com o mesmo mês do ano passado - variação negativa superior ao acumulado no ano (-4,6%) e no acumulado dos últimos doze meses (-3,4%).

Brookfield é condenada a pagar R$ 2 milhões por desrespeito a leis trabalhistas – O Estado de S.Paulo
A Brookfield Centro-Oeste Empreendimentos Imobiliários, que faz parte da Brookfield Incorporações, foi condenada a pagar um total de R$ 2 milhões em indenização por dano moral coletivo, conforme decisão do juiz titular da 11ª Vara do Trabalho de Brasília, Gilberto Augusto Leitão Martins. A empresa afirmou que recorrerá da decisão, mas não se pronuncia sobre casos que ainda estão em tramitação. Segundo o magistrado, a construtora contratava empresas terceirizadas que agenciavam empregados em suas obras, mas não fiscalizava o cumprimento da legislação trabalhista. A violação de direitos era prática recorrente, segundo o juiz. Por isso, ficou configurado o 'dumping social'. O termo define a conduta de alguns empregadores que, de forma consciente e reiterada, desrespeitam a legislação trabalhista, com o objetivo de conseguir vantagens comerciais e financeiras, através do aumento da competitividade desleal no mercado, em razão do baixo custo da produção de bens e prestação de serviços.

Inadimplência entre consumidores cresce 4,6% no 1º semestre – O Estado de S.Paulo
O número de consumidores inadimplentes aumentou 4,52% em junho de 2015 em relação ao mesmo mês do ano passado. De acordo com dados da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) divulgados nesta terça-feira, 14, a alta foi menor do que a registrada em maio, de 4,79%. Em abril, o número de consumidores com contas em atraso havia subido 5,02% nessa mesma base de comparação.

Não há seguro para a maioria dos riscos que afetam empresas – O Estado de S.Paulo
Qualquer empresa está exposta a riscos que podem impactar seus negócios, sejam eles reputacionais, ambientais, regulatórios, entre outros. E uma das formas de a companhia se proteger é por meio de seguros. Um levantamento da corretora Marsh, entretanto, aponta que não existe cobertura para 70% dos riscos para as empresas. Como a maioria deles não são seguráveis, o gerenciamento de risco surge como uma área vital, avaliam especialistas.