Especialistas apontam como ocupar uma vaga de trabalho

Levantamento indica a existência de mais de 17,5 mil vagas temporárias. Confira recomendações para sair à frente dos demais candidatos.

 

Boa notícia para quem pensa em ingressar no mercado de trabalho ainda em 2016. Para atender a um maior volume de vendas neste final de ano, empresas devem contratar 17,5 mil trabalhadores temporários. 

Os números são da Federação Nacional dos Sindicatos de Empresas de Recursos Humanos, Trabalho Temporário e Terceirizado (FENASERHTT) e do Sindicato das Empresas de Prestação de Serviços a Terceiros e de Trabalho Temporário do Estado de São Paulo (SINDEPRESTEM). Em geral, as contratações de última hora são realizadas principalmente pelo Comércio para as funções de vendedor, atendente, balconista e repositor de mercadoria. O levantamento aponta que a maioria dos profissionais deve ter experiência anterior e no mínimo ensino médio completo. “Os contratantes estão esperando aumento nas vendas por conta do pagamento do 13º salário e precisam contratar novos colaboradores”, diz a gerente executiva da FENASERHTT, Joelma de Matos Dantas.

Ela ressalta, no entanto, que tem muita gente qualificada atrás de uma chance de emprego, exigindo do candidato a apresentação de diferenciais, como saber trabalhar em equipe, facilidade de comunicação e, principalmente, identificação com o cargo e com a empresa.

O gerente de contas corporativas da empresa de Recursos Humanos Randstad, Alex David, confirma esta época como propícia para quem quer um emprego temporário. A Randstad abriu 3.500 vagas temporárias neste fim de ano em áreas diversas como Varejo, Serviços e Merchandising, entre outros, um aumento de 23% em relação ao mesmo período do ano anterior. 

Apesar de concordar que a experiência prévia é um diferencial, David lembra que os serviços temporários também funcionam como porta de entrada para quem busca o primeiro emprego. “O bom desempenho é determinante para uma efetivação ou convocação para novas oportunidades temporárias”, acrescenta. 



Consciência

Letícia Campos das Dores Góes de Melo sabe bem do que David está falando e está eufórica. Aos 19 anos, está tendo sua primeira experiência no mundo do trabalho como auxiliar de loja, oportunidade conquistada na Randstad. Começou a desempenhar a função no final de novembro, com contrato previsto até meados de janeiro. Ela, porém, não se prende ao contrato pré-determinado e tem buscado honrar o compromisso assumido de olho em uma oportunidade efetiva e não mede esforços para alcançar este objetivo. “Tenho responsabilidade com horários, boa comunicação, vontade de aprender e capacidade de assimilar as tarefas. Além disso, me identifiquei com o negócio e isto facilita  o crescimento pessoal e profissional”, afirma.

Letícia campos está empolgada com a vaga conquistada no final de novembro (foto: kazuhiro kurita)

 

Para o ex-presidente da Bombril e empresário Marcos Scaldelai, autor do livro “Vendedor Falcão. Visão, velocidade e garra para vencer”, não importa se é baixa a efetivação de temporários. O profissional precisa entender a oportunidade como única e determinante para o seu sucesso. “É simples. Quem quer mais, entrega mais”. 

E para que essa entrega seja positiva, Scaldelai enumera três características para se destacar no mercado: visão (entender do produto para a construção de uma melhor abordagem com os clientes), velocidade (saber o tempo perfeito para esta abordagem, sem incomodar o cliente, mas mostrando que se preocupa com as suas necessidades) e garra (para convencer e se mostrar relevante). “É preciso pensar diferente, criar sua própria marca, ser o cara”, finaliza. 

 

Fonte: https://goo.gl/qQfLTZ - O Amarelinho