Entrevista de emprego: 13 expressões proibidas

Entrevista de emprego: 13 expressões proibidas

Algumas expressões podem deixar a perder a sua entrevista de emprego. Falar das suas necessidades, demonstrar falsa modéstia ou usar palavrão são alguns dos erros que deve evitar.

 

Expressões Proibidas na Entrevista de Emprego

Expressões proibidas na Entrevista de Emprego

1. “Em relação ao salário que vou receber…”

O assunto do ordenado deve ser deixado para uma fase posterior (depois de receber uma oferta de emprego) ou para o final da entrevista. De preferência, deve ser o entrevistador a iniciar a conversa.

O recrutador pode pensar que só está interessado naquela vaga por causa do dinheiro se falar do salário muito cedo.

 

2. “Preciso mesmo deste emprego.”

Ao entrevistador não interessa porque precisa do emprego, mas sim como é que pode ajudar a empresa. A sua condição financeira é relevante para a sua procura de emprego, mas não deve ser um argumento quando lhe perguntarem porque quer aquele emprego.

 

3. “Eu preciso de…”

Pôr as suas necessidades acima das da empresa é um erro que deve evitar. Dizer que precisa disto ou daquilo vai dar a impressão de que, futuramente, será um colaborador complicado e que fará muitas exigências.

 

4. “Sabe até que horas vai a entrevista?”

Não deve dar a impressão de que tem pressa para terminar a entrevista de emprego. Uma entrevista mais demorada pode até ser um bom sinal – o entrevistador gostou de você e está determinando se tem o perfil para a função.

 

5. “O meu patrão é terrível.”

Falar negativamente sobre a empresa onde está/esteve é um dos erros mais comuns em entrevistas. Mesmo que seja o recrutador a puxar a conversa, evite queixar-se. Em vez disso, explique porque acha que a nova empresa seria melhor e mostre as competências que o tornam ideal para a função.

 

6. “Estou muito nervoso.”

Todos os candidatos ficam nervosos na entrevista de emprego. Mas, para o recrutador, ouvir estas palavras pode ser um sinal de falta de confiança.

 

7. “A minha maior fraqueza é ser perfeccionista.”

Quando lhe perguntarem “Qual a sua maior fraqueza?” evite dizer “sou perfeccionista”, “trabalho demais”, “foco-me muito no trabalho”… Essas características não são negativas.  Em vez disso, admita quais os seus pontos fracos e explique o que está fazendo para ultrapassá-los.

 

8. “Gosto muito dos benefícios que oferecem.”

Se focar o seu discurso nas “Happy Hours” ou nas tardes de sexta-feiras livres, pode passar a impressão de que está mais interessado nas regalias do que em contribuir para o sucesso da empresa.

 

9. “Como é em relação às férias?”

Ainda não começou a trabalhar e já está pensando em férias? É provável que o entrevistador fique com o pé atrás quanto à sua força de vontade.

 

10. “Estou passando por um divórcio/período complicado.”

Evite referir problemas pessoais. O recrutador pode ficar questionando-se se estes problemas vão afetar a sua performance na função.

 

11. “Não tenho nenhuma pergunta a fazer.”

A resposta à questão “Tem alguma pergunta para nos fazer?” deve ser sempre sim. Procure saber mais sobre a experiência do entrevistador na empresa, o ambiente de trabalho e o tipo de projeto que desenvolverá, se for selecionado.

 

12. “Prefiro não responder a essa pergunta.”

Se você se recusar a responder a alguma questão pode aparentar ter algo a esconder. A menos que as perguntas sejam ilegais ou discriminatórias, tente sempre dar um resposta e mostrar que é o candidato ideal.

 

13. Asneiras/palavrão

Por fim, evite dizer asneiras ou utilizar palavras de baixo calão, mesmo que o entrevistador o faça. Este tipo de linguagem dá-lhe um ar pouco profissional e será tida em conta na decisão de contratá-lo. “Tipo”, “´tá”, “né” e “daí” já estão enraizados na nossa fala, mas não têm lugar numa entrevista de emprego.

 

Fonte: Blog Alerta Emprego